Dia do Psicólogo marca a abertura de evento do curso
a
TWITTER
b
FACEBOOK
x
INSTAGRAM
r
YOUTUBE

 

Dia do Psicólogo marca a abertura de evento do curso

27/08/2018


Dia do Psicólogo marca a abertura de evento do curso


No dia 27 de agosto comemora-se o Dia do Psicólogo e na Faculdade Cidade Verde (FCV) marcou também a abertura da Semana de Psicologia, evento voltado ao curso.

Foi elaborada uma programação com palestras, minicursos e workshops construídos em torno do tema: Psicologia e Promoção de Saúde nos Contextos Educacionais.

O evento começou hoje, dia 27 e se encerra na quinta-feira, dia 30, sendo realizado no campus da FCV, para alunos do período matutino e noturno.

Participaram da abertura o diretor geral da FCV, José Carlos Barbieri e a coordenadora do curso, Waldecíria Costa. Barbieri deus as boas vindas aos participantes e analisou a importância do trabalho de saúde mental nas instituições de ensino. “Gasta-se muito dinheiro remediando o problema e pouco tempo discutindo-o. Precisamos trabalhar a saúde mental desde os nossos professores, para que eles estejam focados e saudáveis para conduzir nossas salas de aula e sirvam de pilares para nossos alunos”, destacou.

Quanto a escolha do tema do evento, a coordenadora mencionou que partiu dos próprios alunos diante ao grande número de pessoas com transtornos mentais, a famosa ansiedade, depressão e muitos outros. Segundo ela, professores, profissionais e estudantes devem falar sobre a realidade do mundo e como ela pode ser ‘enlouquecedora’. “O nosso foco não deve ser apenas a cura e sim a prevenção”, afirmou ela.

Foi essa linha de pensamento que o palestrante do dia, Eliseu de Oliveira Neto, apresentou durante sua fala, abordando o abuso de medicamentação no tratamento de transtornos que poderiam ter suas causas e resoluções discutidas por psicólogos. “Nossa área tem dois grandes rivais: o uso abusivo de medicamentos e a ignorância. A sociedade precisa parar de tratar todo sintoma de transtorno como doença. A organização em excesso ou a falta dela, por exemplo, é um sintoma, mas precisamos nos lembrar que todos nós temos esses sintomas, eles são nossas características, como somos, nossos trejeitos. Eles só viram doença quando interferem na nossa vida, e até esse ponto eles podem e devem ser discutidos por psicólogos”, ponderou o palestrante, psicanalista e orientador profissional.

 

Assessoria de Comunicação – FCV


 

 

Compartilhe com seus amigos:

 

Voltar